Compartilhe essa Notícia:


O cabeleireiro, Osvan Borges de Sousa, conhecido pelo apelido de "Nenem", de 39 anos de idade, foi assassinado às 10h20m, desta quinta-feira (6), em Lago do Junco (MA). O crime ocorreu no salão de propriedade da vítima, localizada ao lado de sua casa, na Rua Moraes Rego, Centro da cidade. 



O cabeleireiro  foi atingido com três tiros, um na cabeça e dois na barriga.  Informações apontam que o autor dos disparos foi um jovem que chegou ao local disfarçado de cliente, aguardou a vez e, no momento em que seria atendido, sacou uma arma e efetuou os disparos. Depois do crime, ele fugiu em uma moto Bros, cor branca. Nenem ainda foi socorrido com vida para o hospital de Lago do Junco, porém, não resistiu aos ferimentos e morreu logo após dá entrada na unidade. 

"O criminoso tinha uns 25, chegou cedo na Rua Morais Rego, por volta das 8 horas, montado em uma Bros branca; ele abordou alguns vizinhos perguntado pelo Nenem e foi informado que o cabeleireiro ainda não tinha aberto o salão; o criminoso então sumiu e depois das dez da manhã voltou, adentrou o salão e encontrou Nenem trabalhando, cortando o cabelo de um cliente. Se disfarçando de cliente, o criminoso ainda disse: "Quando terminar aí, você corta o meu cabelo." E esperou do lado de fora, despreocupado e tirou o capacete da cabeça. Quando o cliente terminou e saiu do salão, o criminoso entrou e efetuou três disparos à queima roupa em Nenem. Primeiro foram dois tiros na barriga, e o outro certeiro bem no meio da testa. E ali, a vítima morreu instantaneamente. O corpo já se encontra no Hospital de Lago do Junco. Tristeza em nossa cidade com o assassinato do cabeleireiro  Nenem do Chico Dino," informou um leitor do site.

A guarnição da Polícia Militar foi informada e esteve no local realizando os primeiros procedimentos. Ainda não temos informações sobre a motivação do assassinato com indício de crime de encomenda.  O crime será investigado pela polícia civil de Lago do Junco.

Nenem deixa filhos e a esposa grávida. 

Comentários do Blogger

0 Comentários